quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

TAURAS DA RAÇA JERSEY XXIX - LEOMAR MELO MARTINS


Nascido em 15 de maio de 1974, LEOMAR MELO MARTINS casou-se com MARISA ALEXANDRE MARTINS a 10 de outubro de 1998, tendo nela e em seus filhos, Lucas e Daniela, o grande apoio para o desenvolvimento de seu empreendimento rural baseado na produção de leite e de matrizes da raça Jersey.


Iniciando a criação de Jersey PO em 2003, Leomar divulga muito bem seu trabalho por meio dos grupos de What's App e Facebook ligados à raça e ao leite, assim como nos eventos regionais dos quais participa auxiliando em seus projetos e execução, estimulando diversos produtores de sua região, e de todo o Brasil, a produzir leite de nossa raça, portanto "leite com menor custo, maior qualidade e melhor rendimento industrial".


Este autor teve o prazer de conhece-lo pessoalmente em Balneário Camboriú, no GRANDE ENCONTRO JERSISTA ocorrido a 25 de novembro de 2017 e, após interessante e animada conversa, relato um pouco da vida desse entusiasmado ser humano, congregador e altruísta, técnico por formação e por intuição na área rural, "desejoso de motivar às pessoas a não desistirem de seus sonhos".


Filho de Zilma Terezinha de Melo Martins e de Lauro Melo Martins, êle ferroviávio aposentado que começou a vida com roça de milho para engordar porco com seus pais, viveu Leomar no campo sua infância e adolescência, eventualmente indo até a cidade mais próxima, Jaguariaíva/PR, a passeio ou compras, onde cursou o primeiro grau no Colégio Izabel Branco.

 

Abaixo, seus avós: Artiva de Melo e Joaquim José Martins, Candinha de Moura Jorge Melo  e Frederico de Melo.


Com seus irmãos Marlon, Marlei e Marcele: a seguir.


Explica Leomar: 

“Fiz Colégio Agrícola em Itapetininga/SP, no ETAESG com o professor Edson Galvão, formando-me Técnico em Agropecuária .



“Empreguei-me, pela primeira vez, no Colégio Agrícola de Arapoti/PR, logo depois sendo contratado como técnico pela Parmalat, onde atuei por 18 anos como extensionista de campo e na política leiteira. Foi aí que minha vida mudou.



“Marisa e eu decidimos ter um bebê, em 11 de setembro de 2001 nasceu nossa filha mas. motivado por uma eclampsia gravíssima que quase levou minha esposa a óbito, infelizmente nossa menina não resistiu. Marisa permaneceu 20 dias na UTI, em Londrina/PR.

“Passados dois anos, repentinamente ou por dádiva de Deus, a mãe de oito filhos sem condições de criá-los entregou-nos os irmãos Lucas (6 meses) e Daniela (1 ano e meio) para adoção. Eu vivia na estrada, então resolvendo no site de minha vida profissional, junto com minha esposa, largar tudo e comprar um pequeno sítio na cidade de Santana do Itararé/PR, onde estamos de corpo e alma até os dias de hoje, ativos e felizes.



“Graças às vacas consegui cursar uma Faculdade de Agronegócios, recentemente concluindo meu pós graduação sobre IMPACTO DA SOBRESEMEADURA DE AVEIA NAS ÁREAS DE PASTAGENS.


“Marisa, filha de Olinda e Adalberto Alexandre, é Farmacêutica, com duas pós-graduações.



Esta é um pouco da nossa história.”

Leomar passou a usar Jersey no rebanho desde 2003, na época já com Jersolandas, no ano seguinte decidindo formar um plantel puro por ver nessa raça um grande potencial por sua docilidade e beleza, mansitude e grande habilidade materna, além de fàcilmente adaptável a diferentes climas, solos e topografias: "um gado menor em tamanho agregador de valor à produção pelo alto teor de sólidos na composição de seu leite, encaixando-se perfeitamente em minha pequena chácara; meu objetivo é formar um plantel homogêneo, servindo de exemplo a pequenos produtores, também agregando valor na venda de genética e, quem sabe, até participando de algumas exposições".


“Foi aqui que tudo começou no Jersey: o Saul criou o grupo de what's app uns quatro meses antes da Agroleite 2016, em Castro, onde marcamos uma reunião com as diretorias da ACGJB e ACGJPR, na qual reivindicamos numa mesa redonda e, após sermos ouvidos, tornamo-nos jersistas.



“Vivíamos no Bairro do Prado, Jaguariaíva/PR, como verdadeiros colonos, tudo acontecendo muito rápido.



“Formei-me Técnico em Agropecuária e já coloquei as mãos no trabalho, às vezes diretamente preparando o solo e plantando, também levando assistência técnica e novas teconologias a outros colonos como confecção de silagem de milho. No manejo rotacionado firmei a base do volumoso, com Capim Elefante variedade Pioneiro em 11 potreiros de 400 m² cada, e o mesmo do Mombaça com 11 potreiros para as novilhas de primeira cria. Uso pastagens também com Tifton, Estrela Africana. “Ainda de Pioneiro, tenho 10 potreiros grandes divididos com cerca elétrica, com 30 dias de intervalo de retorno ao início.



“O Tifton 85 e o Estrela Africana utilizo para novilhas e bezerras.
“Como complemento, capins e silagem de milho, além de cana de açúcar proveniente de 2,5 alqueires, e feno de Tifton e Estrêla Africana (em 2017, comprei ainda 5 ton de feno).
“Metade do rebanho recebe água de um poço com bomba, a outra metade é fornecida por uma mina, toda a água depositada em caixas d’água.
“Minha ordenha é canalizad, com 4 conjuntos, a produção chegando, no pico, a 850 lts/dia.
“Ainda não participei de exposição ranqueada, mas presidi a Primeira Feira do Produtor de Santana do Itararé/PR em outubro último, expondo 3 novilhas Jersey na ocasião.



Ao encerrar, Leomar faz questão de contar o seguinte caso:

“Outro dia estava com meu amigo Omar, num restaurante e vimos um vinho daqueles bons e caros. O garçom logo perguntou se queríamos aquela safra pra acompanhar o pedido e o meu amigo, sem pensar duas vezes, disse *Mete o saca rolha*.

“Depois de dar boas risadas com aquela expressão, ele me contou que aquela frase servia pra vida. Tempos atrás perdera um grande amigo que tinha uma grande adega com vinhos caríssimos, e deixava os vinhos lá, sem abrir. Certo dia morreu num acidente, e a esposa do cara acabou se casando com um outro, mais jovem, que consumiu toda a adega em tempo recorde. Depois disso, ele começou a perceber quantas vezes na vida desperdiçava oportunidades, deixando pra depois, sendo que o depois pode nem existir. Eu fiquei refletindo sobre isso e hoje quero te perguntar: *Quantas oportunidades você desperdiça, se preparando, sem entrar em campo? Quantas roupas deixou de usar esperando a ocasião especial? Quantas atitudes deixou de tomar, acreditando que sempre existiria ‘a semana que vem’, adiando seus sonhos?

“Por isso, a dica é *mete o saca rolha*. Abra a garrafa de sonhos, tome as atitudes que precisa tomar, pare de procrastinar achando que a vida é eterna e que vai ter todo o tempo do mundo pra tentar, cair, errar e seguir em frente. Mete o saca rolha pode ser uma filosofia de vida. Pra ele, que diz que nunca viu carro forte seguindo carro funerário, é uma frase inspiradora.

“Não deixe os bons vinhos pra amanhã, não espere pra agir se a hora é agora, e não desperdice seu tempo acreditando que amanhã dá pra fazer diferente. O que a gente tem é hoje. Então, *mete o saca rolha* e segue em frente!!!!”


LEOMAR MELO MARTINS, ainda jovem na criação da raça Jersey, tem enorme capacidade técnica e de trabalho, grande otimismo e vontade de vencer, facilidade de relacionamento com a família jersista brasileira e demais produtores.

É um TAURA DA RAÇA JERSEY.

Veja o artigo NASCE UM LÍDER NA PECUÁRIA LEITEIRA, da revista MUNDO DO LEITE -DBO em 18 de dezembro de 2017:






terça-feira, 19 de dezembro de 2017

FELIZ NATAL, JERSISTAS

As fotos do GRANDE ENCONTRO JERSISTA, provàvelmente o maior já acontecido no Brasil, ocorrido em Balneário Camboriú/SC por organização das ACGJB e ACCB, contando com duas centenas de participantes de diversos estados e regiões onde a raça Jersey está cada dia mais forte, quer na qualidade e quantidade de animais, quer na participação e relacionamento entre seus criadores e técnicos, demonstram a grandiosidade de nosso grupo criatório.

Norte, Nordeste, Centro e Sul de nossa grande nação vivem com a raça Jersey embelezando seus campos verdejantes pelas chuvas ou queimados pela sêca, produzindo em qualquer situação de solo, de clima e de topografia o leite de melhor qualidade na atualidade.















































VIVA NOSSA GRANDE FAMÍLIA JERSISTA, E UM  FELIZ NATAL PARA TODOS NÓS!!